28 setembro 2008

Finalmente!...

Ao fim de 3 épocas, consegui ver (ao vivo) o SPORT LISBOA E BENFICA ganhar um clássico e logo o maior de todos eles.

SL BENFICA 2 x Sporting C.P. 0 (Reyes 66' e Sidnei 71')

Já tinha assistido a empates contra Sporting C.P. e F. C. Porto, e até à última derrota contra o Sporting (1-3). Por isso, esta era uma das alegrias que me faltava. A outra é ver uma vitória sobre o Porto (essa ainda me daria mais gosto).

No entanto, não quero nem vou embandeirar em arco. Ainda temos um longo caminho a percorrer, uma equipa a construir (ainda somos o somatório de algumas individualidades e não um colectivo), mas confesso que gostei e podemos chegar lá. Este resultado só é bom, se não for isolado e se começarmos a jogar bem e ganhar (apesar de termos sido campeões com Trappatoni, não gostava do futebol da equipa).

O jogo não foi nada de extraordinário e poderíamos ter começado ainda pior do que começámos (se o Djaló tivesse marcado ao 58 segundos) a história podia ser outra. Mas felizmente não foi.

É um prazer ver jogar jogadores (passe a redundancia) como Reyes, Aimar, Martins (às vezes), mas também Rochemback, que sabem o que fazer à bola e não têm medo de a ter no pé.

Diga o que quiserem, concordem ou discordem, mas José António Reyes é muito bom jogador. Já achava quando o via jogar no Arsenal e continuo a achar (até me custa falar bem de um espanhol). Também gostei de ver jogar Sidnei (a minha primeira impressão não foi a melhor) e surpreendeu-me o Miguel Vitor pela concentração a partir dos 15, 20 minutos de jogo. Yebda é um poço de força (com alguma técnica) e gostei de ver a entrega de Carlos Martins (acho que fez um jogo de "raiva").

E por muito que me critiquem, reconheço que o Sporting tem uma bela equipa. No entanto, como já tinha dito a alguns amigos, este jogo é um jogo especial e que normalmente ganha quem está "pior" (confirmou-se a regra). Espero que esta seja a primeira de muitas alegrias (que o ano passado não tive) e que o glorioso seja campeão.

Foi uma boa noite de futebol e alegria, para esquecer problemas estúpidos que criamos quando não dizemos nada para não nos chatearmos... e depois acabamos por descarregar em que não merece.
Desculpa-me.

18 setembro 2008

Mais um a bater!...


Confesso que me dá sempre um prazer quando vejo alguém “bater” no pseudo-intelectual do futebol Rui Santos.

Desta vez, foi Ricardo Araújo Pereira (Gato Fedorento) na sua crónica semanal do jornal A Bola (dia 14.Set.2008), a reconhecer a excelente (???) análise desse senhor ao jogo da nossa selecção contra a Dinamarca, e que passo a transcrever.

“É sempre lamentável quando alguém cai no flagelo da imparcialidade. Da equidistância em relação a tudo, da isenção, da neutralidade. Não poder manifestar uma preferência, uma paixão, ou passar a vida a fingir que se é imune a elas deve ser uma tarefa difícil e amarga.

Quando sucede o contrário, celebro. Por isso, esta semana tenho de dar os parabéns a Rui Santos.

Para mim, Rui Santos estava perdido para sempre. Era um pertinaz critico da clubite, quando a clubite é das melhores coisas que uma pessoa leva desta vida. Ninguém pode dizer que viveu enquanto não defender um argumento totalmente indefensável por causa do amor irracional que sente por alguém ou alguma coisa. Foi o que fez Rui Santos, esta semana. Rui Santos pode não ser benfiquista, sportinguista, ou portista, mas também tem clube: é carlosqueirosista.

Depois da derrota da selecção frente à Dinamarca, Rui Santos escreveu: «na inevitável comparação com o passado recente, a Selecção de Queirós deu aos portugueses um pouco mais de quase todas as variáveis que entram nas contas de um desafio (velocidade, ritmo ofensivo, sedução pelo futebol colectivo (...); só ficou a perder para a Nossa Senhora do Caravaggio!» Na verdade, também perdemos para o adversário, e em casa – coisa que, com Scolari, nunca aconteceu: o brasileiro não perdeu qualquer jogo de apuramento disputado em Portugal. Mas, como bom carlosqueirosista, Rui Santos encontra saldo positivo na selecção de Queirós.

É certo que a de Scolari ganhava, mas tinha menos velocidade. Agora perdemos, mas damos um baile em ritmo ofensivo. Os dinamarqueses vão para casa com os três pontos, mas também levam a certeza de que foram humilhados em sedução pelo futebol colectivo. Se aquilo que se vais organizar na África do Sul daqui a dois anos fosse um Campeonato do Mundo de Velocidade, Ritmo Ofensivo e Sedução Pelo Futebol Ofensivo, a selecção de Queirós ganhava de certeza.

As velhas vitórias morais acabaram de ganhar um nome mais sofisticado.”

07 setembro 2008

Mais um filme... ESPECTACULAR!!!

Tal como referi no post anterior, só por alguma razão "especial" iria escrever no meu blogue, durante as minhas férias. E ela aqui está!!

Na passada sexta-feira (05.Set.2008), e após um fim de tarde com (bastante!) chuva, fui ver um filme, com a minha esposa. O nome do filme é “MAMMA MIA”.

A minha opinião? Basta ler o título deste post!!! AMAZING!!!

Já tinha visto a apresentação várias vezes, e tinha achado uma certa piada. Além disso, sempre achei que era um filme perfeito para ver com a minha esposa. No entanto, surpreendeu-me bastante e sempre pela positiva.

Apesar de na apresentação aparecerem umas músicas, ainda não tinha a noção exacta de que se tratava de um musical. Mas é um musical, e para mim dos melhores dos últimos tempos. Melhor que o Chicago e o Moulin Rouge. Só depois de sair do filme, é que soube que o mesmo é um remake de um espectáculo que houve e que foi visto por mais de 30 milhões de pessoas. É obra!!!

Para quem gosta de ABBA, o filme é espectacular. A música é sempre divertida, a acção é sempre contínua, com excelentes momentos de humor, e interpretações magnificas, e das quais destaco Meryl Streep (Donna) e Amanda Seyfried (Sophie). No entanto, todo o elenco é muito bom.

- Colin Firth (Harry)
- Stellan Skarsgard (Bill)
- Amanda Seyfried (Sophie)
- Dominique Cooper (Sky)
- Julie Walters (Rosie)
- Christine Baranski (Tanya)
- Ashley Lilley (Ali)
- Rachel McDowall (Lisa)
- Philip Michael (Pepper)

Adorei o filme, adorei as músicas e durante 2 horas, fiz uma viagem no tempo e lembrei-me do vinil e do duplo LP, que o meu irmão tinha, e que ouvia em casa dos meus pais... the good old days ;)))

Mais uma vez, achei espectacular o intervalo de 7 minutos! Haja paciência.
Aconselho vivamente a não perderem este filme, se quiserem estar numa sala de cinema e estarem a divertir-se a ouvir música...

Até ao próximo filme...

Ficha Técnica
Título Português : Mamma Mia
Título Original :
Mamma Mia
Realizador : Phyllida Lloyd
Ano : 2008
Género : Musical / Comédia
Interpretes : Meryl Streep, Pierce Brosnan, Amanda Seyfried, Colin Firth
Site: http://www.mammamiamovie.com/